Autor

Sara

em LISTAS

CINCO CLÁSSICOS POLÊMICOS

Apesar de toda a liberdade de expressão existente nos dias de hoje, ainda é muito claro o quanto alguns assuntos são sensíveis devido às crenças pessoais ou puro pudor social. Sexo é um desses assuntos. Mas também podemos citar a intolerância às diferenças religiosas, raciais, entre outras. E no mundo literário, as coisas mudam muito de acordo com a época em que são escritas e publicadas as obras. Se no mundo liberalista atual,  ainda existem infinitos preconceitos e rejeições, quem…

Continue lendo
em LIVROS

O COLECIONADOR

O COLECIONADOR foi o grande romance de estreia de John Fowles, lançado em 1963, que entrou para a lista de best-sellers internacionais. É considerada obra fundamental dos anos 60, englobando vários questionamentos à cultura e sociedade da época, e valorizando a reflexão e quebra de paradigmas.

Continue lendo
em LIVROS

A MÁQUINA DO TEMPO

O livro A MÁQUINA DO TEMPO foi lançado no ano de 1895, sendo o primeiro livro publicado por H. G. Wells e o mais famoso acerca de viagens no tempo. O autor é considerado pioneiro da ficção-científica com esse tema, tendo sido o responsável por um novo tipo de literatura. Este clássico foi relançado pela Companhia das Letras, no selo Suma das Letras, em edição especial com capa dura, ilustrações magníficas e conteúdos inéditos.

Continue lendo
em LIVROS

LOLITA

LOLITA é uma história de paixão, obsessão, loucura e ruína. O livro, tão polêmico e perturbador, foi escrito entre 1950 e 1953, porém, após a recusa de diversas editoras norte-americanas, foi publicado somente em Paris no ano de 1955, pela Olympia Press. Apesar da falta de sucesso inicial, LOLITA atingiu o primeiro lugar na lista dos mais vendidos em 1958, sendo hoje considerado um dos principais títulos da literatura universal.

Continue lendo
em LIVROS

MADAME BOVARY

MADAME BOVARY é uma obra singular do Realismo francês, de 1857, que tornou-se uma das mais importantes da literatura mundial e precursora do Realismo europeu. Nela, somos apresentados a uma sociedade provinciana e moralista, a qual o autor, Gustave Flaubert, faz críticas por meio de ironias. É dividida em três partes, que são demarcadas por acontecimentos na vida dos protagonistas.

Continue lendo
Fechar